62 Minutos #EspecialRumble

2332 0
TODAS AS PALAVRAS EM VERMELHO SÃO CLICÁVEIS, E AQUI TAMBÉM.

Provas de resistência. Quem assiste o BBB sabe como é, você fica lá, paradão, sem poder mover um fio de cabelo, pra no final ganhar um carro, ou perder pra uma tiazona que ficou mais tempo que você, ou na outra semana ser eliminado porque o público te odeia, etc. Mas, se a prova de resistência valesse a glória, valeria a pena? Bem, o alvo da nossa palavrinha de hoje provou que sim, porque ele ficou uma fucking hora tomando porrada de outros vinte e nove lutadores e se tornou o grande vencedor, e daí pra frente é só história. Vamos contar três momentos que fizeram a vitória de Rey Mysterio no Royal Rumble de 2006 muito especial. Tá começando mais um episódio do Especial Rumble.

 

 

13 de novembro de 2005, Minneapolis, Minnesota.

Dois meses antes da Royal Rumble Match. Os preparativos para mais uma semana de shows segue normal, até que uma notícia abala e muda os rumos da luta livre para sempre. Eddie Guerrero é encontrado morto após um ataque cardíaco no quarto do hotel aonde estava hospedado. Rumores afirmavam que Eddie, que havia sido WWE Champion um ano antes, estava na rota do título mundial novamente, e cotado para vencer a Rumble Match. Ele se foi, mas o legado estará sempre aqui, Viva La Raza!

Mas, por que esse momento triste faz parte da história que estamos contando? Pequeno padawan, eu te respondo. Se ele era um dos favoritos e estava sendo especulado como o vencedor, os planos teriam que ser mudados? E como lembrar do legado de Eddie, homenageá-lo e ter um novo vencedor para o combate, tudo de uma só vez? A resposta vem a seguir.

 

29 de janeiro de 2006, Miami, Florida.

Dois meses se passaram e chegava a hora do combate que decidiria quem iria enfrentar o WWE ou o World Heavyweight Champion na WrestleMania 22 (que tem um dos cenários mais legais da história). 30 homens novamente disputavam essa vaga. Tivemos o cardápio de sempre: retornos inesperados, eliminações rápidas, o cara sentado no corner metade da luta, tudo como manda o figurino já dito no primeiro episódio da saga. Mas vamos focar nos dois primeiros participantes do combate.

Entrando como o número 1, temos ele, o único Thor possível, o dono da marreta, o invencível, Triple H(naquele ano usando sua sensacional barba inspirada em Lemmy Kilmister). Na segunda posição temos um lutador mascarado, de menos de um metro e setenta de altura, múltiplo campeão dos pesos leves, entrando no saudoso cadillac de Eddie, e com uma camisa com o seu rosto estampado, ele, Rey Mysterio! Façam suas apostas.

Entraram os outros 28 lutadores, e logo foram sendo eliminados. Após um bom tempo de combate, os quatro finalistas estavam decididos: Rob Van Dam, Randy Orton, Triple e Rey Mysterio. Se eu te desse 100 reais para você fazer uma aposta que vale uma fortuna, em quem você apostaria? Eu duvido que seria no baixinho que estava há quase uma hora na disputa. E advinha quem ganhou? Ele mesmo, Rey Rey, com direito a duplo 619 em Orton e HHH, e recorde como participante que mais tempo resistiu no combate, com incríveis 62 minutos e 12 segundos. Roteiro de filme, falta a cereja do bolo.

 

2 de abril de 2006, Rosemont, Illinois.

BIG TIME! (por favor, escutem e leiam dançando com essa musiquinha que está no link) Rey Mysterio conseguia sua vaga meses antes, e agora estaria disputando o cinturão mundial contra Kurt Angle e Randy Orton. Com direito à tema de entrada tocado ao vivo pela a banda P.O.D e com um figurino que Milton Cunha diria ser bafônico, com cores, representando a alma viva mexicana. (Se você não conhece esse ser humano, favor clicar no nome)

Em um bom combate, Mysterio fecha um ciclo glorioso ao vencer o combate, coloca seu nome no hall dos imortais que venceram a Royal Rumble e o combate pelo o título na WrestleMania e homenageia a vida e o legado de um dos maiores lutadores de todos os tempos. La Raza continúa!

 

Já explicamos como funciona o Royal Rumble, a sua história, suas polêmicas, quem foi o lutador mais resistente, mas perguntas ainda podem ser respondidas. Vimos que um participante número 2 já venceu o combate, mas será que ninguém entrou como número 1 e venceu? Ah garoto, venceu sim, em duas oportunidades. Em 1995 e em 2004. O nome das feras? Shawn Michaels e Chris Benoit, respectivamente. Mas como a primeira vez a gente nunca esquece, no próximo episódio falaremos do primeiro vencedor como participante número um. Preparem os corações, porque vem aí o Heartbreak Kid. Piada infame, abraços.

 

Lucas Gomes

Não sou um profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Verdade de cu

Posted by - 5 de novembro de 2019 0
Não é rola, é prejuízo O NXT invadiu o Smackdown, as possibilidades são tantas que nosso multiverso até parece pequeno.…
nxt-arturo-ruas-identidade

Construindo uma identidade

Posted by - 19 de setembro de 2019 0
Caro leitor, as noites de quarta-feira nunca mais serão as mesmas. A Luta Livre mundial nos presenteará com dois grandes…