Foda-se os racistas, ao estilo NWA

1440 0

É um jogo de cartas marcadas. Toda vez, temos que nos empenhar pra falar sobre algo que nem deveria existir em nossa sociedade, mas que infelizmente ainda temos que ouvir pois está cada vez mais frequente: o racismo dentro do Pro Wrestling.

Dessa vez, o assunto do momento (aliás, o assunto que vai virar do momento, pois escrevo isso minutos depois da live) é o verdadeiro paz na terra e pau no seu cu que o ACH – a.k.a Jordan Myles – deu na WWE, por conta de uma camiseta.

Parece bobo, mas não é.

A camiseta em si, tinha um cunho totalmente racista simplesmente pelo design, que foi pensado e desenvolvido com uma cor neutra, e divulgado com a cor preta, dando a entender que fizeram apenas para caçoar de toda uma historia de luta contra o racismo que nós, negros, temos que aguentar e resistir durante mais de 400 anos.

Mas ACH não deixou barato, em um ato de extrema coragem, talvez como uma releitura de Ice Cube nos anos 90, ele deu o verdadeiro foda-se ao Vince McMahon ao melhor estilo que essa década pode nos oferecer: em uma live no Twitter, xingando a tudo e a todos e deixando claro que ele não será mais uma marionete daqueles que acham que sabem fazer o produto.

https://twitter.com/ACHisSuper/status/1194733835583406081

Foi um grito de liberdade. Não só dele, mas de wrestlers que tem e tiveram que aguentar outros caras entrarem nos seus lugares de direito e alcunhas racistas em décadas verdadeiramente ridículas dessa nossa pífia paixão.

Posso citar tranquilamente casos de wrestlers que mereciam espaços maiores dentro das empresas mas ganharam apenas cartas de demissão: D’Lo Brown talvez tenha sido um dos Top 3 All Rounders da WWE nos anos 90… Nunca ganhou nem uma chance pelo WWF Championship.

Junkyard Dog, Ernie Ladd e Mabel deixaram seu couro por anos nos ringues, lutaram como verdadeiras lendas dentro das ropes… Morreram sem ao menos ganhar um major title.

Bobby Lashley, Shelton Benjamin, MVP, R-Truth foram destaques durante anos na WWE, sendo potenciais para futuros World Championship Contenders… Nunca reinaram como tal.

São tantos exemplos de wrestlers que eu tive que fazer uma lista de quantos caras chegaram ao topo em grandes empresas:

WWE: Booker T, Mark Henry, The Rock, Kofi Kingston
WCW: Ron Simmons, Booker T
NJPW: Bob Sapp
NWA: Ron Killings, Bobo Brazil
TNA: Bobby Lashley
ROH: Low Ki, Xavier
ECW: Bobby Lashley, Ezekiel Jackson (embora este nunca tenha reinado como tal, pois logo após ele ter ganhado o title, o programa foi encerrado e o titulo foi descontinuado).

12 wrestlers em empresas ou marcas grandes.
Parece pouco, né? E é muito pouco.
Todos muito talentosos, esforçados e dedicados por um propósito maior.

O que temos que entender é que não temos que ser tratados a pão de ló, temos força e talento o suficiente pra contornar situações que não deveríamos passar, quando ACH xinga toda um sistema que é veladamente racista, não é uma atitude de um negro raivoso, é um grito de liberdade, quando Kofi Kingston faz questão de voltar pra Gana depois da sua maior conquista na carreira, não é pra fazer mídia ou algo parecido, é para abraçar quem um dia o apoiou, é pra retornar as suas raízes, origens que o moldou como o homem correto que ele é.

Pra deixar claro, é um recado que deixo a todos os lutadores negros do mundo (olha a auto estima subindo): vocês são inspirações para mim e para outros negros, apenas lutem para que a nossa história não seja apagada e para que vocês não sejam escorraçados por pessoas mesquinhas e racistas, somos mais que isso, então se for pra ser campeões, seremos corredores que ficarão marcados para a história como Carl Lewis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

O POST HARDCORE E A LUTA LIVRE

Posted by - 26 de agosto de 2021 0
Quando você pensa em luta livre, você deve se lembrar dos grandes nomes do Rock como Motorhead e afins, certo?…