Mais um texto reclamando sobre a WrestleMania

1001 0
Eu que fiz porque sou engrassadíssima e porque esse é o sentimento.

A pandemia me obrigou a escrever. Vim por meio desta engrossar o coro dos meus wrestleamigos das postagens passadas sobre a (jazida) WrestleMania 36.

Como falei nesta postagem de julho de 2019, os programas semanais do Vince saíram da minha rotina após uns dez anos capengas acompanhando religiosamente toda segunda-feira e sexta-feira (ou terça-feira, mas nunca deixei de chamar de Friday Night). Abandonei a terça-meio-sexta-feira e me dediquei às segundas-feiras e quartas-feiras, que no fim acabou sendo só quartas-feiras até que PLUFT parei.

Acho que tô limpa de WWE desde agosto do ano passado. Não faço ideia de quem ainda tá na empresa, não faço ideia das storylines. A minha última lembrança viva disso tudo é do Kofi Kingston campeão e dos sete segundos, que eu soube pelo tuiter. Ri e falei ~ué cês continuam assistindo porque querem, é só parar de assistir que nem eu fiz~. Mas sei que não é bem assim.

Toda semana, nos últimos dois anos.

Eu ia assistir a WrestleMania. A palhaça aqui já tava pronta pra ir até os confins das internets aquela stream piratex 410p com propagandas de atrevida_e_gostosa_webchat e altos vírus (de computador kk) pra acabar de vez com o meu notebook. Já tinha planejado acordar na segunda-feira, dia 6 de madrugada (a vingança de quem é do ocidente e assiste NJPW), pra ficar sete horas assistindo um PPV que só sei da luta do Edge com sei lá quem, mas tem o Edge. Tanto faz, também, só quero assistir luta livre, xingar, passar raiva, torcer, tuitar de novo que nunca mais vejo essa birosca.

Qualquer fã de WWE às 2 da manhã, discutindo sobre a WrestleMania no tuiter.

Mesmo me gabando sempre que posso sobre não assistir WWE, eu ia assistir a WrestleMania. Nem o Royal Rumble, menina dos meus olhos, eu me prestei a assistir, esse ano. Mas pra desgraçada da WrestleMania eu estava secretamente contando os dias.

A gente até não acompanha a WWE, mas no fundo, a gente acompanha. Uma espiadinha no tuiter ali, um videozinho aqui. Uma passada de raiva, uma torcida. É mais forte que eu.

Wrestling é mais forte que eu. E eu amo isso.

Há 12 anos.

Isso não é um adeus pra sempre, isso é só um adeus por enquanto.

Assistirei a WrestleMania gravada que mais parece aqueles programas gravados em Londres porque o fuso não favorece a transmissão?

A gente é muito trouxa.

Provavelmente. Porque né.

P.S.: imagem em destaque feita por mim porque sou engraçadíssima e porque essa imagem combina 100% com o que sentimos.

P.S.²: memes usados aqui são do meu acervo pessoal de memes que coleto há anos, já que lutinha fake é isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Nota de agradecimento

Posted by - 31 de dezembro de 2015 0
Esse post não contém nada sobre wrestling. Mas a única razão desse post existir é o wrestling. Nós começamos nossa…