O ano do mosca até o infinito

104 0

Uma criação nem sempre tem em sua gênese algo que possa ser chamado de um “motivo bom”. O mosca, essa putaria que está presente, se não na sua vida, na sua timeline, há alguns meses foi criado porque eu estava cansado, mas não cansado o suficiente para falar sério. 

Não posso dizer que estar aqui me trouxe coisas ruins

Talvez o “”mau motivo” – carecas – tenha vindo para algo minimamente benéfico na minha vida: ganhar dinheiro e falar merda. 

É muito difícil falar de luta livre sem passar por uma porrada de stress no processo. Em muitas medidas, discutir telecatch se torna algo bem mais chato que discutir futebol porque o fã da lutinha – geralmente alguém piroca da cabeça metido a sabido – é um cara isolado porque ninguém o suporta. Logo, quando ele encontra outra pessoa geralmente vem o modo PALESTRINHA DA PORRA.

E é mais ou menos o que eu sou: o modo palestrinha. Eu estou aqui explicando a piada porque o ano está acabando e não sabemos quanto tempo a piada pode durar até se tornar outra coisa. 

O alvo da piada é chato, mas também é irrelevante agora. A inspiração para a piada é importante para mim, mas acabou se tornando alguém tão horrível que ao invés de ser o exemplo do que fazer se tornou o exemplo do que não fazer.

“Today I stop being real. No-one’s going to listen to a boy genius. No-one’s going to listen to a philosopher or a traveller. No-one cares about an orphan, or a rich man, or some grown-up grinder kid from Heavenside. All the thing’s I’ve been: no-one’s ever been interested.So today I become a character.”

Dr Sleepless

O autor dessa frase é alguém que eu costumava admirar – também um careca – e se tornou alguém que é muito triste admitir que eu odeio. No final das contas a piada também é sobre ele. 

A piada é sobre acreditar, algum dia, que os nossos ídolos eram mais que pessoas e também rir das pessoas que acreditam que são mais do que meros blogueiros. Por isso Dan Pussey está ali, porque você é ridículo ~persona non grata~, porque ano após ano durante MUITO TEMPO você falou do alto de um troninho em forma de coluna onde você achava que era um rei, mas na verdade era só um bebe cagando. 

E cara, algumas pessoas realmente comem a sua merda e acham que os seus passos são os certos. A piada é o quanto tudo isso é ridículo. A piada é você e, de certa forma, sou eu também. 

Ver a incompetência das pessoas para as coisas mais simples disfarçada sob a desculpa de “eu estou fazendo por amor” ou “eu estou tentando construir meu sonho” é o que transmite aqui toda a soberba que durante anos você destilou na internet. 

E eu percebo agora que pessoas melhores e mais inteligente e criativamente distantes da sua chatice também possuem o mesmo defeito. 

Se eu me incluo nisso? Só o tempo dirá. No final tudo isso é uma desculpa para ganhar um dinheiro e ser babaca sem responsabilidade. Se você pensar um pouco no processo, pode ser que eu esteja fazendo algo certo, mas jamais foi essa a intenção. 

O fato é que sempre se faz importante a frase “sem deuses, sem mestres”, mesmo que você acredite neles. Eles estão mentindo e eu também. Acredite na lutinha e no processo, se divirta com isso e não seja um pau no cu. As vezes pode parecer engraçado ser um pau no cu, mas só quando todo mundo está rindo. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do WrestleBR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Pitonga e Silvio Santos

Pitonga e Silvio Santos

Posted by - 20 de setembro de 2021 0
Quando o lutador Pitonga foi pela primeira vez ao programa Silvio Santos em 1984, ver lutadores brasileiros no estrangeiro era…

Bolão

Posted by - 27 de setembro de 2021 0
Eu estava pensando cá com meus botões aqui na moscaverna e me veio – tal qual um relâmpago no meio…
Bobby Jr, a cabra, e não Bob Jr

Bob Jr e a Cabra

Posted by - 15 de dezembro de 2021 0
Um dia eu estava assistindo Beyond Wrestling e ela apareceu, a dona de meus pensamentos, o ser que alugou uma…