O Evangelho segundo O Moska

113 0
Moska em Moscou

De todas as coisas anteriormente ditas é preciso tirar o suco de verdade com a peneira da sabedoria. A necessidade de saber proceder quanto ao Wrestling no Brasil – produzido ou transmitido lá – se mostra inadiável, uma vez que tantos se afastam do caminho para trilharem por vias tortuosas da falta de bom senso, carisma, ideias ou amabilidade.

Pois saiba que eu não os amaria nem se fosse suas mães. Como não sou, não me vejo na obrigação. Também não sou a mãe do Wrestling, por isso não o amo também.

Aqui estão os primeiros mandamentos, segredos de uma Fatima careca e octopa, para que o público daquele país da américa do sul canina saiba como se portar e seus produtores de conteúdo aprendam, em passos simples, como tratar essa turba vislumbrada por ideais mirabolantes como qualidade, periodicidade e prazer.

1. Consiga 100 mil Inscritos

Com um número desse você pode conseguir qualquer coisa dentro do mundo da luta livre. Os 100 K, 100 grandões, 100 dos pica te dá as armas para combater todos os obstáculos que o pegado como pegado pode a de enfrentar nas terras brasileiras. Quando chegar nesse número você pode começar a planejar suas transmissões, pensar em uma boa qualidade de equipamento e até se atualizar sobre o que realmente acontecesse no mundo ao seu redor. Antes disso só foque em alcançar a meta, lembre-se do que Didil nos ensinou.

2. Arranje uma desculpa para quando seus amigos fizerem merda

Seus amigos farão merda invariavelmente. O conselho original seria não ter amigos, mas isso eu sei que é o seu padrão, do contrário você não estaria aqui e sim com os seus amigos. Enfim, quando eles fizerem merda, já tenha uma desculpa muito boa para tirar o seu da reta, colocar o corpo fora e fingir que você, desde o começo, sabia o quanto a índole desta pessoa era podre e o quanto tentou alertar. Depois de 3 meses todo mundo esquece e a vida segue.

Isso no mundo da luta livre é melhor ainda porque existe a desculpa do personagem, do eu lírico, da insanidade planejada, do ser sulista.

3. Não seja da IWC

Evite a sigla IWC a qualquer custo! Eu soube de uma menina no Pará que falou que era da IWC e dois dias depois foi atacada por um biscoito de polvilho raivoso. Ela nunca mais conseguiu parar de ver o Raw. Você, que sabe o que é bom, que entende mais que todo mundo, que conhece do riscado, que sabe pra que lado a árvore cai, não vai querer ver Raw a vida inteira com um bando de imbecis. Você é mais brabo, então você não é parte da IWC, é parte de outra coisa.

Faça seu grupo seleto e espiritual, finja que a sua turma da luta livre é outra, uma mais culta, mais entendida. Se você lutar, diga que sua inspiração é um lutador neo zelandês que nasceu na patagônia e foi criado por doninhas. Não diga que é o Undertaker (até porque ele é um merda)

4. Não diga que é o Undertaker

Até porque, raio de sol, você não é. ACHO que você não tem foto com contrabandista de animais,  entretanto mesmo que tenha, você não é o mortomem, não ganhou na Wrestlemania, não luta que nem um saco de coco vestindo chapéu e nem tem carisma prum sheik saudita de dar grana. Para com essa megalomania, caralho.

E não queira ser o Undertaker, ele é tonto. Queira ser o Sousa Caveirão. Apesar de careca ele era PIKA.

5. Tire sarro dos outros, mas não tenha autocritica

Essa vai para mim. Eu, como pessoa e como entidade também, sou patético. Talvez eu tenha mirado no Lula e acertado no ET Bilu? Talvez. Ou talvez eu tenha mirado no V de Vingança e acertado no chupa cu de goianinha? Talvez. O importante é você fingir que sabe do que está falando e escrever, initerruptamente. Não importa se você tem carisma, porque carisma não traz números. Eu, como colunista do site mais reconhecido do Brasil sei que carisma não trás movimento, ou então eu não teria nenhum. O que trás movimento é link, é cuzão, é canudinho, é falar que nem morto, é live chatona. É ISSO que engaja.

6. Delegue funções que você não vai deixar outras pessoas exercerem

Essa dica é deliciosa para quem está querendo entrar no mundinho especial do PW. Quando for produzir, sempre diga para alguém fazer algo – escrever, apresentar, gravar, editar – e depois faça por essa pessoa para você ter ao menos metade do crédito. Além disso, você sabe que seu funcionário não é capacitado, ou então ele não seria seu funcionário, né? Você é PATRÃO, PAE, aja como tal.

Aqui se encerram os primeiros ensinamentos do eterno Moska, pai de Du Moskovski, filho dos três Mosketeiros, da linhagem Moskal, dos cadernos Moskelines. Que seu dia seja abençoado, porque não será.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do WrestleBR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Cachorro otário

Cachorro manso é otário

Posted by - 17 de setembro de 2021 0
Certa vez a dona Lucia, aquela que mandou a carta para a seleção, me escreveu uma cartinha dizendo o seguinte:…

Mais uma vez eu vou falar sério

Posted by - 10 de outubro de 2021 0
Existem esforços reais de preservar a história do wrestling nacional, ou pelo menos remontá-la, costurar uma coisa que é tão…
AEW Invasion

AEW Invasion

Posted by - 27 de novembro de 2021 0
Vince McMahon faleceu, pobre coitado. A beira de seu túmulo então Hunter Hearst Helmsley, de olhos marejados e com uma…

A mamada do bezerro

Posted by - 11 de setembro de 2021 0
Um bezerro não pensa no passado, porque simplesmente não existe um para aquele quadrupede vacilante. Como um Jr. ele se…
Pitonga e Silvio Santos

Pitonga e Silvio Santos

Posted by - 20 de setembro de 2021 0
Quando o lutador Pitonga foi pela primeira vez ao programa Silvio Santos em 1984, ver lutadores brasileiros no estrangeiro era…