Stone Cold Steve Austin #EspecialRumble

2752 0

20 anos atrás. Eu estava engatinhando, babando mais que tudo e sem dentes na boca. Enquanto isso, Stone Cold Steve Austin vencia seu primeiro Royal Rumble de três, um recorde. Mas quem é ele? Menino, sente que vou lhe contar uma história.

Pense num cara careca, com um cavanhaque de respeito, que bebia cerveja o tempo todo, e tinha um CAMINHÃO MONSTRO. Esse cara lutou na WWE, esse cara é uma lenda. Esse cara é o personagem do nosso último episódio.

 

 

Alamodome, 20 anos atrás

Nossa trilogia começa há exatos vinte anos. O palco da festa era o mesmo do próximo Royal Rumble, porém a história era outra. Shawn Michaels, como dito nos episódios anteriores, era a face daquela nova geração de lutadores da WWE*colocar link aqui*. Porém, a WCW, rival da WWE na época, seguia a passos largos como de Usain Bolt rumo a liderança da guerra das segundas feiras, usando a velha escola com sua infalível (até o momento) New World Order.

Como criar uma nova estrela, como combater os grandes nomes da luta livre com novos nomes que teriam de ser construídos e demorariam no mínimo um ano para surgirem? Pensa Vince, pensa. E ele pensou, não é que a representação de satanás na terra criou uma lenda? Sim, e o caminho dela começou em 1996, quando recitou um versículo perdido da bíblia sagrada, o Austin 3:16. Amém, irmãos!

Voltando para 1997, pro Texas, Alamodome. Austin é texano, gosta de cerveja e de bater em pessoas, estava em casa. Os cinco últimos lutadores são: Undertaker, Vader, Bret Hart, Steve Austin e Fake Diesel. O melhor disso tudo? Podemos ver Kane, meses antes de estrear com seu melhor personagem, vestido de Diesel. Cômico, se não fosse trágico. Voltando ao combate, Bret Hart lança Steve Austin por cima da terceira corda, então nosso herói estava eliminado, certo?

Não?

Peraí, pode isso Arnaldo?

Não pode, mas, do lado em que Steve Austin foi eliminado não haviam juízes. Logo, Austin pode retornar e eliminar três dos quatro lutadores no ringue (Hart eliminou Fake Diesel) e vencer a Royal Rumble Match. Primeira na conta do pai.

 

1998: Stone Cold vence novamente

Devido a toda a polêmica envolvendo o final de sua luta com Bret Hart, Steve Austin não alcançou o objetivo final que era a luta pelo o título mundial na WrestleMania 13. Porém, Austin e Hart nos agraciaram com uma luta de cinco estrelas em pela Mania. Chefe é chefe, né pai?

Então, nosso texano poderia novamente tentar conquistar a vaga antecipada na WrestleMania XIV para enfim disputar o cinturão. Vamos ao Royal Rumble de 1998, aonde existe um torcedor ilustre especialmente para o nosso herói. O nome dele? Mike Tyson. Se você é um leitor (a) que está começando a adolescência, pode não saber quem é esse senhor. Ele simplesmente se encontra no hall dos maiores lutadores de boxe da história, e, nos anos 90, ele era um ícone do esporte, junto com Michael Jordan e outros.

p.s: ele mordeu a orelha de um lutador em pleno combate, ao vivaço.

Quando os vidros se quebram e a música tema de Steve Austin começa a tocar, todos os lutadores se viram em direção a rampa que dá acesso ao ringue. Mas nosso herói, malandramente, não veio pela frente, só pra poder curtir. Malandramente, deixou todo mundo perdido, entrou por trás do ringue, só pra poder descer a porrada em todo mundo. No final do combate, Austin elimina The Rock e vence, para a alegria de Mike Tyson que estava em seu camarote loucaço com a vitória do seu lutador preferido.

p.s 2: Depois disso, Tyson e Austin protagonizaram um dos momentos mais marcantes da história da WWE em um segmento sensacional, que você confere clicando aqui.
DUAS VITÓRIAS

 

2001: Um Steve Austin tricampeão

Agora é pra se consagrar. Austin já tinha ganhado tudo que teve oportunidade. A WWE já tava dando uma surra na sua rival, a guerra estava quase acabando, agora era só deitar e rolar. Mas, Stone Cold queria o topo, e isso significava o WWE Championship. Para entrar na rota do cinturão, era preciso ganhar mais um Royal Rumble.

O Royal Rumble de 2001 foi louco. Estávamos no auge da divisão hardcore, então tinha cadeira, cano de bambu, violão, placa de trânsito, carrinho de supermercado, Donald Trump, etc. Tudo que pudesse ameaçar a vida de um ser humano estava sendo utilizado. Tivemos também a presença de Drew Carey, citado no nosso último episódio. Sim, aquele sujeitinho que é ator e se eliminou. Uma lenda viva.

Tivemos o Kane limpando o salão, e não era o nariz, era o ringue. (hoje eu estou o tiozão do churrasco). E o mais importante de tudo, teve ele, ele mesmo, nosso herói, Stone Cold Steve Austin, vencendo mais uma para bater o recorde antes pertencente a Hulk Hogan e Shawn Michaels de mais vitórias em Rumble e se isolar no topo do hall dos vencedores.

p.s: Vale ressaltar que essa vitória gerou o segundo combate entre Steve Austin e The Rock, na WrestleMania X-Seven, aclamado por mim como o Main Event mais pica da história da WrestleMania.
TRICAMPEÃO CARAI

 

Com isso, chegamos ao final da nossa série. Nós rimos, choramos…peraí, esse texto era de outra série. Vamos lá. Nós vimos sobre o Royal Rumble, suas histórias, curiosidades. Também vimos que um baixinho, mascarado e californiano venceu o Royal Rumble e foi o que mais resistiu dentro do ringue, mais até mesmo que o primeiro a ser vencedor entrando na posição número 1, Shawn Michaels. Vimos também que o Royal Rumble é uma caixinha de surpresas, e que se você for careca, tiver um cavanhaque esperto e beber muita cerveja, você é um exemplo para a comunidade.

Eu sou Lucas Gomes e esse foi o #EspecialRumble.

Lucas Gomes

Não sou um profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

O talvez é um Mysterio

Posted by - 2 de março de 2015 0
Odeio trocadilhos, mas deu uma vontade tremenda de usar. Talvez se não tivesse utilizado esse título e trocado por outro…