Tay Conti mereceu se tornar campeã da AEW no Full Gear

263 0
Tay Conti mereceu ser campeã no AEW Full Gear

Neste sábado tivemos a edição de 2021 do AEW Full Gear, onde vimos a brasileira Tay Conti carregar a luta contra Britt Baker. Mas infelizmente não deu para a nossa conterrânea.

O show começou com Darby Allin e MJF, e eu sabia que eles roubariam a cena. A luta foi um excelente opening e uma das melhores do show. Serviram muito.

Na sequência, vimos a disputa de duplas da AEW com Lucha Bros enfrentando o FTR. Eu confesso que não dava nada para essa luta, mas até os sem graça da FTR conseguiram servir bem.

Como sempre, Rey Fenix se provou o melhor high flyer do mundo. O cara é muito bom, sério. Até mesmo a hora que o FTR colocou as máscaras verdes esquisitas. Enfim, um bom combate.

Aí o show deu uma bela caída

Nem mesmo Bryan Danielson conseguiu evitar que Miro fizesse uma luta ruim, foi difícil de aturar. Miro não dá, gente.

Ainda bem que Bryan venceu o combate.

E então, tivemos a Falls Count Anywhere entre Christian Cage e Jurassic Express contra a SuperKliq. Essa luta foi um verdadeiro spot fest, virou aquela baguncinha louca aproveitando cada coisa da arena.

Foto: Kimberlasskick

Mas teve um momento muito ruim que foi quando o idoso Christian Cage tentou pular do alto de uma marquise e caiu feião. De resto, todos os spots agradaram.

No fim, Jungle Boy foi o responsável a aplicar um con-chair-to em Adam Cole, que estava todo ensaguentado. Eu acho que vai ter mais coisa nisso aí. Queria ver o Jungle Boy heelzão.

Cadê as minas???

Pelo amor de deus, antes da luta das mulheres ainda tem que assitir PAC e Cody Rhodes contra Malakai Black e Andrade. Mas a luta só ficava boa nas vezes que Cody era jogado pra fora.

PAC e Andrade foram os destaques aqui, como sempre.

E finalmente veio aí a luta que a gente queria ver. Tay Conti e Britt Baker. Tirando a bandeira meia americana meia brasileira, Tay Conti veio pro AEW Full Gear num look maravilhoso. Mas não ficou só nisso.

Simplesmente vimos Tay Conti carregar a luta enquanto Britt Baker parecia sequer importar, essa é a verdade. E que lutaça fez Tay, meu deus. A gata tá vendo muito puroresu ultimamente.

Infelizmente, não deu pro Brasil, ficou pra depois o cinturão vindo pra nossa casa.

E então, Eddie Kingston contra CM Punk veio prometendo muito mais do que se cumpriu. Punk levou uma coça, mas Kingston não conseguiu vencer.

Foto: Kimberlasskick

Foi mais uma luta que teria sido muito mais se a AEW construísse boas histórias, mas isso é uma discussão para outra hora. Se você acha que a AEW constrói boas histórias, sinto muito.

Por que?

Eu não consigo entender o motivo de ter que ver um monte de gente com roupa de militar no co-main event de um show, mas tudo bem.

A melhor coisa dessa luta pra mim foi o Junior Dos Santos dando um standing moonsault. E só isso que falarei sobre.

Adam Page campeão

Não me entendam mal, já tá tarde, o PPV durou muito tempo e estou cansado. Se alguém falar que essa foi a melhor luta da noite, a pessoa tem motivo para dizer isso. Eu não concordo, mas entendo.

Kenny Omega e Adam Page começaram num ritmo devagar, foram crescendo na luta até o bicho pegar. E pegou muito bem. Esse tipo de luta pegada é muito bom de assistir.

No fim, os Young Bucks vieram todos quebrados, num semblante de que já tinha dado ruim pra Kenny Omega. Matt Jackson olhou para Adam Page como quem aceita a derrota, e então ele deu o golpe derradeiro.

Foto: JJWiliansWON

Temos um novo campeão, e aceite você ou não, esse PPV foi bem nível WWE de qualidade.

E você sempre pode acompanhar tudo sobre a AEW conosco pelo Twitter: @WrestleBR e Twitch: https://twitch.tv/wrestlebr

Airton Reis

Conheci a luta livre em 2008 e isso mudou a minha vida. Surgiu a ideia do WrestleBR em 2014 quando a WWE passou a ser ao vivo por aqui. Desde então, escrevo sobre tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens