Uma noite de Pro Wrestling

1998 2

Minha caminhada na comunidade de luta livre na internet começou em 2010. Ah! Que saudades do Orkut, era um lugar de pessoas com muitas ideias para fazer isso crescer. Nos anos em que as comunidades se mantiveram ativas, muitas amizades foram feitas. Hoje, tenho amigos para a vida toda que, se não houvesse essa conexão, nunca teria o prazer de conhecer. Devido a esta troca de informações, sempre havia uma nova descoberta, e uma delas foi a Federação Internacional de Luta Livre. O melhor disso tudo, ela estava no meu estado. Porém, os treinos sempre foram no meu horário de estudo, então anos se passaram sem que eu finalmente pudesse vir a conhecê-la.

Então veio o ano de 2015, aonde meu interesse por luta livre renasceu junto com o nascimento deste querido site. Na metade do ano finalmente veio a primeira visita, como retratei aqui, mas ainda não pude assistir todo o evento, compromissos me impediram. Mas ontem foi diferente. A viagem é rápida de metrô, um pouco antes de começar estava lá. Encontrar os amigos e poder conversar sobre algo que você ama e poucos conhecem é aliviador. Algumas cervejas, risadas, e o evento iria começar, estava ansioso para o que aconteceria ali. Segurem-se nas cadeiras, isso é um show de Pro Wrestling.

A primeira luta foi entre Anark Andy, Gabriel Nogueira e Sombrero Voador em uma Ameaça Tripla. O lutador gaúcho com nome latino era o preferido da plateia, que gritava a todo momento que executava um golpe de efeito o nome de Super Crazy por sua semelhança com o mexicano. Os outros dois eram os vilões da historia, dominaram todo o combate, usavam todas as maneiras para desfavorecer Sombrero. Mas mesmo assim o nosso querido Voador conseguiu vencer o combate, para delírio da plateia. No final, os dois derrotados com a ajuda de seu manager aplicaram um Triple Powerbomb, causando vaias e mais vaias da crowd.

O segundo combate foi entre Targueta e Domina, o nível de álcool no sangue já estava grande. Fui comprar outra cerveja, voltei, e ainda acompanhei grande parte do combate. Matt Striker diz que na Lucha Underground não temos discriminação de gêneros, todos podem lutar contra todos e mostrar que são os melhores. E isso é verdade, Domina dominou grande parte do combate, mas no final Targueta se sagrou o vencedor, o que desagradou a crowd, totalmente favorável a lutadora.

A terceira peleja foi pelo o título de Rei dos Voadores. El Garra está provando a cada evento que merece estar com o cinturão que há algum tempo estava com um dos melhores lutadores brasileiros, Iron Charles. Seu adversário, Gabriel Brito, entrou enrolado com a bandeira do nosso país, gerando piadas da plateia, já que o nosso campeão era o preferido. Um combate muito ágil, como era de se esperar de dois lutadores leves, com belos spots, inclusive com escadas. No final deu Garra, ele reteve o cinturão e está a espera de um novo desafiante, quem será que consegue terminar com o reinado do mascarado?

Preparem o coração, pois agora falaremos do combate pelo o título mais importante do Brasil, o cinturão absoluto da FILL! E preparem suas carteiras também, pois o desafiante é ninguém mais ninguém menos que o Perigo brasileiro, Lorain Campos. E o campeão, Black Bird, tinha a difícil missão de provar porque ele merece esse cinturão. Um combate brutal, os dois sempre dispostos a sair dali com o título fizeram a alegria da plateia. No final do combate, mesmo com o domínio de Lorain, o vencedor foi Black Bird, que mantém seu cinturão em cima da sua televisão até o próximo evento.

E agora o evento principal da noite, valendo o cinturão de Duplas da FILL. Tytan, o lutador mais respeitado da luta livre nacional, uma lenda viva, se alia a Vitão, um novo e promissor lutador para tentar retirar os cinturões do “Milagre de Minas” Pezão, e de Iron Charles. Antes do combate, os campeões fizeram uma pequena promo, gerando UM PUTA HEAT da crowd, que entoava chants contra os dois. Quando Charles citou sua antiga federação, a CWL, a plateia gritava o nome dos lutadores da mesma, enfurecendo o campeão. Interrompendo as palavras da dupla, vieram os desafiantes, e com gorros de papai Noel, afinal se podemos bater, podemos bater com alegria também! Com certeza o melhor combate da noite, muita intensidade, fechando o show com chave de ouro. Apesar dos Shining Wizards dominarem todo o combate, os campeões conseguiram reter o cinturão e se manter dominantes na Federação Internacional de Luta Livre.

Com o fim desse pequeno recap (sem muitos detalhes pra não ficar muito cansativo, ver ao vivo é muito melhor que ler, eu sei), hora de me despedir. Você pode conhecer os lutadores que foram retratados aqui. (ou alguns deles, o site está um pouco desatualizado). A luta-livre no Brasil é pequena, o público é pequeno, mas somos fiéis. 2015 se encerra com ótimos eventos, e 2016 se inicia com a esperança de que iremos crescer, e crescer, e crescer. Como sempre, o wrestling me dá belos dias de diversão, e eu só tenho a agradecer. Isso é wrestling.

Lucas Gomes

Não sou um profissional.

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Humor Wrestling

Posted by - 28 de março de 2016 0
Dizem as boas linguas que o Humor Wrestling é um dos melhores blog nacionais sobre luta livre… e se o…