NXT 2.0 é um espetáculo de novos personagens

246 0
NXT 2.0 é um espetáculo de novos personagens

Depois do sucesso da reestreia na semana passada, o NXT 2.0 dessa semana novamente mesclou os novos rostos com alguns personagens já conhecidos. E podemos afirmar que foi mais um bom show.

O NXT 2.0 começou com um monte de novatos no ringue, são eles Odyssey Jones, Bron Breakker, Carmelo Hayes e mais uma galera. Mas guardem esses três nomes porque eles serão a cara desse novo NXT. Ciampa também veio ao ringue com sua preciosa Goldie, com traços de loucura pois ele conversa com o cinturão.

Cameron Grimes também veio pra essa grande festa de apreciar o novo NXT, mas logo LA Knight, Pete Dunne e Ridge Holland chegaram para jogar água nesse chope. Como de praxe, pela quantidade de gente que tinha no ringue, era óbvio que ia virar um grande quebra pau. Gostamos!

O segment foi legal porque deu o tom do que seria o show, mas não sei o que dizer sobre esse clima caótico de ter um monte de gente junta o tempo todo.

Diamond Mine coleta sua primeira joia

Roderick Strong enfrentou o campeão cruzador Kushida numa luta valendo o cinturão, e o líder da Diamond Mine acabou conseguindo a vitória. É claro que ele aproveitou de uma distração do juiz causada pela facção, mas é do jogo. Novo campeão.

A luta foi bem boa, com o final dela lembrando bastante as baguncinhas que a gente vê no RAW vez ou outra. Mas sendo bem honesto, se o novo NXT for um RAW com lutas boas e uma hora a menos, eu estou bem de boa.

NXT 2.0 não dá mais do que 3 minutos para as mulheres

Não, eu não estou dizendo que uma luta feminina no NXT durou menos que 3 minutos, a verdade é que esse foi o número somando a duração das duas lutas de mulheres que rolaram no show. Kay Lee Ray squashou Amari Miller e mais tarde Elekra Lobez fez o mesmo com Anna Scheer.

Nada novo sob o sol.

Joe Gacy está quebrando tabus

Sim, a WWE achou uma boa ideia criar um personagem esquerdomacho que fala sobre desconstrução e privilégio masculino. Joe Gacy enfrentou Cameron Grimes depois de mostrar a sua empatia no ringue, mas perdeu. Gacy até tentou uma demonstração de respeito ao fim da luta, mas Cameron Grimes mostrou como a masculinidade tóxica é muito presente nos ringues da WWE.

Mas mal podemos esperar para ver Joe Gacy fazendo dupla com Daniel Vidot, que deu uma aula de feminismo ao impedir que um macho escroto desrespeitasse o espaço das minas que só queriam entrar na arena em paz.

O machismo que se cuide!

Odyssey Jones e Bron Breakker têm o molho que o Vince gosta

Primeiro tivemos Odyssey Jones vencendo Cary Millman e Darren Ciapetta numa handicap match, mas que serviu apenas pra mostrar que o grandão tem poder e força pra ser o cara do novo NXT. Depois da luta, Andre Chase veio ao ringue e tentou dar uma cadeirada em Jones, mas a cadeira quebrou nele que não sentiu nada.

Foto: Divulgação / WWE.com

Sim, eu sei, são muitos personagens novos nesse NXT 2.0. A gente vai decorando!

E o evento principal contou com Pete Dunne e Ridge Holland cntra Bron Breakker e Tommaso Ciampa, onde pudemos ver mais uma vez que Bron é o cara do momento. A luta teve um tempo decente e os quatro puderam mostrar um combate bastante divertido. A vitória ficou com Bron e Ciampa, mas os derrotados também não saíram nada mal.

Já está muito óbvio que a WWE quer colocar Bron Breakker no topo do NXT 2.0 o mais rápido possível, e isso faz total sentido, pois ele tem tudo que uma estrela da WWE pede. Mas resta saber se conseguirão aproveitar isso de uma forma decente, não queremos mais um Karrion Kross.

Os vencedores da noite. Foto: Divulgação / WWE.com

E assim terminou o NXT 2.0 dessa semana, em mais um sólido show que deixa a mensagem bem clara de que essa nova versão do NXT de Vince McMahon tem tudo para ser melhor que a antiga de Triple H.

Airton Reis

Conheci a luta livre em 2008 e isso mudou a minha vida. Surgiu a ideia do WrestleBR em 2014 quando a WWE passou a ser ao vivo por aqui. Desde então, escrevo sobre tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens