Resgatando paixões antigas, o RAW surpreende na volta do público

456 0

Estou aqui escrevendo um texto de luta livre após muitos meses. Isso por si só já mostra um pouco do que o RAW da última segunda-feira representou para quem o assistiu. Foram, sobretudo, três horas assistíveis.

Finalmente, conseguimos vê-lo novamente 👋🏻👋🏻

O show já começou dando aquele chute na porta do espectador, com o anúncio de que John Cena seria a primeira atração do programa. Ele veio e fez aquilo que sabe como ninguém: entreter. Por uns bons minutos, John Cena teve o público na palma de sua mão. Chamou Roman Reigns pro pau no SummerSlam e já garantiu a sua presença no SmackDown de sexta-feira.

Na sequência, tivemos aqueles combates de sempre. Daqueles que às vezes dão a impressão de se repetir toda semana – e em alguns casos se repetem mesmo. Vou pular pro que interessa. Charlotte Flair. Já no Money in the Bank, que você pode rever no WWENetwork.com, vimos o público incessantemente pedir por Becky Lynch, porém Charlotte Flair e Rhea Ripley fizeram um trabalho tão incrível que rapidamente os gritos por Becky se transformaram em cânticos de “This is Awesome”. No RAW o mesmo pedido por Becky Lynch surgiu, e Charlotte simplesmente respondeu que enquanto Becky está amamentando, ela está carregando a divisão. Mesmo não estando lá, Becky não deixou barato e fez o tweet a seguir, além de mudar a localização de sua conta para “Para sempre na mente de Charlotte Flair”. Continuem!!!

Por fim, foi marcado a revanche de Rhea Ripley contra Charlotte Flair no evento principal do RAW. E mal podíamos esperar… Calma, eu chego lá.

Foto: WWE/Divulgação

Depois disso, tivemos o Reginaldo custando a luta das campeãs de dupla, Tamina e Natalya, contra Nia Jax e Shayna Baszler. Ele acabou levando uma coça delas depois da luta, o que parece que fez despertar nele um espírito olímpico que o fez ganhar o título 24/7. Eu nem vou tentar explicar tampouco mostrar algo dessa luta. Você que veja por sua conta e risco essa parte do RAW aí.

E então foi anunciado que Karrion Kross faria sua estreia no RAW. Com seu cavanhaque diretamente da zaga de qualquer clube carioca de 2010, o campeão do NXT foi anunciado para mais tarde.

Retornos e retornos

Eu amo desafios abertos na WWE. Na metade das vezes, vem alguma surpresa boa junto. E não deu outra. Bobby Lashley, o campeão da WWE, desafiou qualquer um que estivesse por ali pra disputar seu cinturão. KEITH LEE, ele mesmo, respondeu ao desafio.

Foto: WWE/Divulgação

Mas como a felicidade é um sentimento efêmero, logo depois de Bobby Lashley reter seu cinturão, veio o véio. Ele mesmo, Goldberg chegou para o delírio dos texanos. Dando seus socos no ar (e quase perdendo o relógio nessa), ele veio todo pomposo para dizer que é o próximo. Quantos segundos durará essa luta no SummerSlam?

Quase que o relógio foi embora…

Logo depois dos comerciais o Drew McIntyre veio cobrar o aniversariante Jinder Mahal, com várias cadeiradas de presente. É uma pena que a WWE tenha feito Drew ficar desgastado, pois ele vinha numa caminhada bem promissora e por um bom tempo carregou o RAW nas costas durante a pandemia. Mas é a vida. Vem aí o zagueirão Karrion Kross.

Promessa é dívida!

O campeão Karrion Kross iria enfrentar Jeff Hardy, que havia prometido retornar com No More Words como sua música de entrada assim que o público retornasse para a WWE. E aconteceu…

E chorei mesmo

Esse momento foi como voltar para a infância. No More Words para qualquer pessoa da geração 2008 é uma nostalgia terapêutica. Muita gente não gostou do fato de que Kross perdeu na sua estreia ali, e que Vince não está muito feliz com o NXT. Eu nem parei pra pensar nisso, e nem vou… Don’t you see the writing on the waaaaall? 🎶🎶🎶

Alexa Bliss e Eva Maria eu vou pular. Desculpa, Alexa!

Nikki A.S.H. é a campeã do RAW

O evento principal veio, Charlotte Flair e Rhea Ripley se enfrentando mais uma vez. Eu vou pular a luta, não porque foi ruim, mas porque eu quero focar em correr atrás de seus sonhos. Nikki Cross é, assim como praticamente todo mundo ali, alguém que um dia sonhou em estar no topo da WWE. Como muitos de nós, inclusive. E ela foi dando todos os passos até lá. Altos e baixos vieram, com certeza. E ela estava um pouco apagada, era perceptível a sua insatisfação. Até que ela veio com a ideia de ser “Quase uma super heroína”.

Foto: WWE/Divulgação

Com roupa de super herói, máscara e tudo que tem direito, inspirada na Might Molly. Muita gente criticou, achou ridículo e tudo mais. Mas o que é a luta livre senão um conjunto de coisas ridículas que formam algo incrível? E a sua felicidade era nítida, há semanas. Por que? Simples, esse era o sonho dela. Não só surpreendeu a todos conquistando a Money In The Bank, como logo na noite seguinte apostou a sua maleta e se tornou a campeã do RAW. Agora vai ficar difícil chamá-la de quase uma super heroína.

E com isso, três horas se passaram num estalo. Faz muito tempo que o RAW não agrada tanto, por isso devemos desfrutar. Vejo vocês no SmackDown?

Airton Reis

Conheci a luta livre em 2008 e isso mudou a minha vida. Surgiu a ideia do WrestleBR em 2014 quando a WWE passou a ser ao vivo por aqui. Desde então, escrevo sobre tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens

Punk

Todos felizes

Posted by - 18 de novembro de 2019 0
Quando Punk abana o rabo Existe uma razão muito simples pela qual Phil Brooks gera frenesi. O rapaz punk tatuado…