A vez delas – 2016

3255 0

A revolução das mulheres. Demorou, mas finalmente foi dada a atenção que elas mereciam desde o primeiro dia no mundo da luta livre.  Women’s Revolution. Esse é o nome que ficou para a história. Hoje em dia vemos elas nos holofotes e eventos principais da noite de forma bem mais natural, e parte da razão para isso é o tema que mereceu o destaque de 2016 nessa série.

Pra falar sobre a Women’s Revolution, temos que primeiramente voltar em 2014, quando ela realmente começou. Percebi algumas pessoas comentando sobre o fato da Emma dizer que ela começou a Women’s Revolution, e ela está totalmente correta. O primeiro passo dado dessa revolução foi no NXT ArRIVAL, quando Paige derrotou Emma pelo NXT Women’s Championship, numa luta que foi o divisor de águas de toda a história feminina da WWE dali em diante.  Acostumados com 5 minutos de lutas pobres em técnicas e habilidades, as duas mostraram que as mulheres podem muito mais. A partir dessa luta, a WWE começou a olhar de forma mais sérias para suas lutadoras.

AJ Lee carregava a divisão feminina da WWE mostrando algo diferente do que estávamos acostumados a ver.  Rivalizando com a própria Paige e até mesmo melhorando nossa imagem quanto às divas mais veteranas como as Bellas Twins. Enquanto isso, no NXT uma nova geração feminina começava a florescer e ganhava força dia após dia. Surgia a Four Horsewomen, nome informal dado para o conjunto de Bailey, Becky Lynch, Charlotte e Sasha Banks. Alternando as rivalidades entre si, as lutas cada vez mais se tornavam longas e cada vez mais se tornavam expressivas. Podemos citar aqui inúmeras delas. O reinado de Sasha Banks é refletido até hoje em sua personagem, com a forma poderosa em que ela se apresentava. Esse desempenho fora da curva propiciou a elas diversos grandes momentos, como estarem no evento principal do NXT e de alguns Takeovers, incluindo na despedida delas para ir pra divisão principal da companhia, quando o cinturão finalmente ficou com Bailey. Todos esses momentos emocionantes você consegue acompanhar na WWE Network.

E finalmente a Women’s Revolution chegou com tudo aonde os holofotes da WWE realmente estão apontados. E é claro que elas não decepcionaram. Mesmo num espaço onde egos já estão criados e, por mais que mereçam, é um caminho muito difícil para ter sucesso. Aqui, quem mais conseguiu se destacar foi Charlotte. Com sua posterior streak interminável em PPVs, a filha de Ric Flair dominou por completo a divisão feminina. Pudemos perceber o quão boa ela consegue ser como vilã, atingindo o público bem no fundo e nos fazendo odiar o fato de ela ser tão incrível.

Sua rivalidade com Becky e Sasha começou depois dela mostrar os primeiros momentos de vilania, ao fingir uma lesão e usar Ric Flair para distrair Becky, tudo isso para manter o seu cinturão no RAW, Smackdown e também no Royal Rumble. E depois de vencer Nikki Bella no Fastlane, a filha de Nature Boy também reteve seu título no Roadblock contra Natalya. Cada vez mais, o público a odiava e o poder subia mais e mais à sua cabeça.

A luta do ano começou a ser desenhada quando Charlotte resolveu interferir em uma disputa entre Sasha Banks e Becky Lynch para saber quem teria o direito da lutar pelo seu cinturão. Ao atacar ambas e fazer a luta terminar sem vencedora, o tiro veio pela culatra. Em vez de não ter mais uma adversária, agora ela teria duas para enfrentar no maior palco de todos, a Wrestlemania 32.

Logo no começo do evento, a lendária Lita veio ao ringue anunciar que as três não disputariam o Divas Championship, mas sim o mais novo cinturão feminino, o WWE Women’s Championship. E a maior Wrestlemania de todas merecia algo grande assim. A vitória agora tinha um valor muito maior, quem tivesse seu braço levantado pelo juiz ao final do combate cravaria seu nome para sempre na história.

Depois de algumas lutas e histórias sendo escritas, era finalmente a hora delas. O vídeo promocional da luta sendo exibido mostrando o caminho delas até ali, a emoção já estava por toda a parte. Era o ápice da Women’s Revolution, elas finalmente chegaram no topo. A emoção era vista no rosto de cada uma delas a todo momento. Não era mais a famosa hora de ir ao banheiro ou fazer um lanche, o público queria ver essa luta. O público esperava por elas.

A primeira a descer ao ringue foi Becky Lynch. Definitivamente a underdog de toda essa revolução. Uma das wrestlers mais técnicas que temos, sempre fica no quase na hora do vamos ver. A trajetória de Becky é a perfeita explicação sobre não só de vitórias viver um bom superastro. Mesmo sendo sempre a menos cotada do trio, ela nunca deixou de entregar combates valiosos.

“Tinha um sonho que não havia conquistado, não há nada me puxando para baixo agora. Porque uma garota vai empurrar tudo que ver pela frente.” Esse primeiro verso da música tema de Sasha Banks reflete muito bem toda a sua trajetória até aqui. Obstáculo atrás de obstáculo, todos derrubados por elas. E lá elas estavam, na frente de 100 mil pessoas sendo o centro das atenções. E pra mostrar como manda no pedaço, Sasha ainda trouxe nada mais nada menos que Snoop Dogg para trazê-la ao ringue.

E por fim a campeã. Utilizando do mesmo tecido da roupa que seu pai usou para seu último combate da história, na Wrestlemania 24, Charlotte veio ao ringue acompanhada do Nature Boy. Uma entrada que dispensa comentários, que deixa qualquer um de boca aberta por tamanha grandiosidade. Estava tudo pronto para o começo da peleja.

O ringue soou e rapidamente já vemos Sasha Banks e Becky Lynch se alinhando para acertar Charlotte. Depois de várias tentativas de pin, Charlotte consegue um big boot em Becky Lynch, mas já é logo acertada por um springboard hurricanrana de Sasha Banks. A luta segue quente até que Charlotte consegue encaixar o Figure Four em Lynch, mas de forma ágil Sasha aplica um Frog Splash e fica muito perto de conquistar o título.

O combate não para um minuto, o público acompanhando sem piscar um segundo sequer. Sasha Banks voa pela segunda corda para acertar Charlotte que estava fora do ringue, enquanto Lynch tira Ric Flair de cena. E depois de jogar a Charlotte de volta pro ringue, Banks não esperava pela retomada da loira. Charlotte subiu na 3ª corda e aplicou um moonsault perfeito nas duas adversárias fora do ringue! Não bastasse, aplicou o Natural Selection em ambas ao mesmo tempo. Mas isso aqui é Wrestlemania, bebê. Nenhuma das duas deixou passar da segunda contagem.

Até que Becky Lynch consegue aplicar seu armbar em Charlotte, mas logo é surpreendida pelo Bank Statement de Sasha. Becky pensou ter escapado, mas Sasha rolou com ela de volta pro centro do ringue. Charlotte viu uma brecha e aplicou o Figure Four em Sasha Banks, elas não param! Becky Lynch puxa Sasha para evitar que ela perca para Charlotte, e as três então começam a trocar socos. Charlotte então consegue um spear em Sasha Banks, mas é jogada no corner por Becky Lynch. Ela então sobe nas cordas e aproveita para aplicar um suplex em Charlotte!!!! Antes que pudesse tentar fazer algo, Becky Lynch é surpreendida por um Bank Statement. Quando já estava para desistir, Charlotte jogou Sasha Banks para fora do ringue e aplicou seu Figure Eight. Num último suspiro, Sasha Banks tentou voltou ao ringue, mas foi impedida por Ric Flair. Com o clássico Figure Eight aplicado, Becky Lynch não suporta a pressão aplicada e bate. Charlotte vence e fica com o WWE Women’s Championship!

Charlotte ergue seu título com orgulho enquanto se retira do ringue. O público aplaude as três de pé, e acolhe Sasha Banks que está desolada por ter ficado por um triz de ter ganho o cinturão. A história já estava feita. O que essas três fizeram numa Wrestlemania jamais será esquecido. Mais uma vez, pudemos olhar para as mulheres e ver que elas são capazes de qualquer coisa. E isso está apenas começando.

Estamos numa época muito feliz para as mulheres na WWE. E a tendência é só melhorar. A Women’s Revolution mudou todo o cenário e o céu é o limite para elas. Quem sabe um dia não vemos elas fechando a noite com a luta principal da Wrestlemania?

Gostou da volta dessa série? Você pode conferir os outros anos aqui embaixo!

2008 – 20092010 2011 201220132014 – 2015 – 2016 – 2017

Fotos: WWE.com

Airton Reis

Conheci a luta livre em 2008 e isso mudou a minha vida. Surgiu a ideia do WrestleBR em 2014 quando a WWE passou a ser ao vivo por aqui. Desde então, escrevo sobre tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens