Era da Realidade – 2014

2484 2

Sentiram saudades?

Resolvi unir o útil ao agradável e colocar meu último mas não menos importante post da série na Wrestlemania Week. Em 7 dias estaremos mais uma vez assistindo algumas das mais históricas lutas da WWE. Sem mais delongas, here we go.

1

Tudo começou na Royal Rumble 2014. Daniel Bryan era e ainda é o mais querido de todos do WWE Universe. Após uma ótima luta contra Bray Wyatt, todos da audiência esperavam que Bryan retornasse para a Rumble Match. Os números passam, e nada de Bryan. Chega-se ao #30, a expectativa de todos é de se ouvir aquela música clássica de sua entrada, mas… Bom, veio Rey Mysterio. Nosso pequeno Rey não tinha culpa das vaias que o acompanhavam até o ringue.  O povo queria Bryan, e isso ficou muito claro. A luta sequer estava tão perto do fim, mas as vaias foram só aumentando na medida que todos os preferidos que ainda restaram eram eliminados. Os três últimos são Sheamus, Roman Reigns e Batista. O que era para ser uma festa de retorno para Batista, acabou sendo o propulsor de todo o Yes Movement, que inspirou esse nosso artigo.

2

Na clássica RAW pós-Rumble, Bryan confrontou a Authority sobre a decisão de não colocá-lo na Rumble Match. Isso seria o começo de uma ótima rivalidade. Bryan com o povo do seu lado, buscando aquilo que merece há tempos. E Triple H do outro com a Autoridade, fazendo valer  o que é melhor para os negócios. Mais tarde nessa RAW, Daniel Bryan, John Cena e Sheamus conquistaram o direito de enfrentar o campeão Orton no Elimination Chamber.

3

As semanas passam e os ataques à Bryan vão ficando mais nítidos e frequentes. Seu ex-parceiro de duplas Kane é o seu maior algoz, sempre interferindo nas lutas do Submission Specialist e o colocando em situações complicadas, como competir várias vezes na mesma noite. Após o Elimination Chamber, onde Kane custou a vitória de Bryan, ele foi reclamar a Triple H sobre as constantes vezes que eles estragam a noite de Daniel. A partir daqui, o alvo e foco de D-Bry se voltam contra Triple H.

4

De saco cheio dessa injustiça, Bryan desafiou Triple H para uma luta na Wrestlemania. Porém o COO não fez muito caso disso, fugindo dessa luta. E como as atitudes contra Daniel Bryan não cessavam, ele resolveu fazer sua voz ser ouvida. Bryan convidou membros do WWE Universe para aderirem sua Ocupação da RAW em favor do Yes Movement. Com o ringue totalmente ocupado, seria impossível a Autoridade continuar seu show de horrores com a RAW. Isso tirou Stephanie McMahon do sério ao ponto dela confirmar a tão desejada luta de Bryan na Wrestlemania.

5

Mas não parou por aí! O que os fãs realmente queriam ver, é Daniel Bryan lutando pelo título na Wrestlemania. Portanto, Bryan só concordaria em retirar seus parceiros do ringue para que a RAW seguisse em frente na condição de se, caso ele vença HHH, ele dispute o WWE World Heavyweight Championship mais tarde na noite. Sem escolhas, Triple H aceitou.

6

Uma semana depois, Triple H veio com uma conversa de que respeita Daniel Bryan por tudo que ele já passou. Tudo não passava de uma armação. Steph veio com uma ordem de prisão para Bryan, que era na verdade uma farsa para algemar Bryan, deixando Triple H livre para atacá-lo como bem entendesse. Bryan sequer foi capaz de comparecer na RAW seguinte, onde Orton tentava convencer Stephanie que, caso HHH vença, ele deveria abandonar a disputa do cinturão.

7

Falta uma semana para a Wrestlemania, mas Daniel Bryan não está aqui de novo. The Authority prepara um adeus para o Yes Movement, pois não há como Bryan ser capaz de sequer passar pelo seu primeiro adversário do próximo domingo. E lá vamos nós para o Showcase of Immortals.

8

Bryan não quis perder tempo. Assim que o sino tocou, já foi para cima do Game. A luta foi emocionante, houve momentos em que fiquei na dúvida se o Bryan iria de fato levar.  Após várias trocas de golpes incríveis e kickouts de tirar o fôlego, Bryan conseguiu a vitória. Como era de se esperar, Triple H e Stephanie o atacaram em seguida, deixando mais uma dúvida na nossa cabeça: Será Bryan capaz de se tornar o campeão mesmo depois disso tudo?

9

Visivelmente machucado, Daniel Bryan não fugiu do combate. A diferença era nítida, mas o nosso guerreiro se manteve forte durante todo o combate. A força do povo de fato contribuiu aqui. Mas ninguém estava esperando por isso…

10

Batista Bomb seguido de um RKO. Sim, eu sei que teoricamente isso seria um neckbreaker. Mas a força é de um RKO. Daniel Bryan está inconsciente. Acabou. Nosso sonho ali destruído por uma sequência incrível de finishers. Bryan já estava sendo retirado da arena numa maca, quando o mesmo voltou a si. Não podia acabar assim, não podia ser dessa forma.  Após grande jogada de oportunismo, Bryan aproveita que Orton está fora de combate para aplicar o Yes Lock em Batista. E foi assim, Bryan se tornou o WWE World Heavyweight Champion!

11

E foi assim, nossa voz finalmente ouvida e ecoada. Se essa era a intenção inicial ou não, tanto faz. Essa foi uma das melhores storylines nas Road to Wrestlemanias recentes, talvez até uma das melhores da história. Foi uma completa alegria e felicidade assistir a RAW toda semana. Era prazeroso até odiar o Triple H. Aliás, um dos melhores trabalhos heels que acompanhei até hoje.

Essa é a era da Realidade, um novo conceito sobre quem vaiamos e quem torcemos e por que vaiamos e torcemos. Sejamos todos muito bem vindos a ela.

Muito obrigado a todos que acompanharam essa série de posts sobre meus anos acompanhando WWE. Foi muito bom relembrar todos esses anos, e espero que vocês tenham gostado.

2008 – 20092010 20112012 2013 – 2014  20152016 2017

Airton Reis

Conheci a luta livre em 2008 e isso mudou a minha vida. Surgiu a ideia do WrestleBR em 2014 quando a WWE passou a ser ao vivo por aqui. Desde então, escrevo sobre tudo.

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Mais postagens